Barra 7 Esportes

•08.julho.2009 • Deixe um comentário

Para quem não é um profissional da bola, que ganha milhões para tomar um totó do Ronaldo (joga muito no Curintia) ou um laço da raposa, mas ainda gosta de dar uns chutes ou uns carrinhos, surge em Porto Alegre uma nova quadra de futebol 7. Localizada na Zona Sul de porto Alegre, próximo do hipódromo do Cristal, conta com duas quadras de grama sintética recém inauguradas (março), estacionamento interno e churrasqueiras.

Mais informações:
51 3012.7277
barra7@barra7.com.br
www.barra7.com.br

Endereço:
Rua Cel. Claudino, 468
Bairro Cristal

Anúncios

Fica Deborah

•04.julho.2008 • 2 Comentários

fica
Estamos rezando também.

De tudo que nos espanta

•26.junho.2008 • 4 Comentários

Era uma terça como qualquer outra, mas do lado de cá estava um gremista a pensar nesse blog:

Depois das derrotas na semifinal do campeonato regional, e da súbita saída da Copa do Brasil ante o Atlético Goianiense; da manutenção de Celso Roth como técnico e da não-chegada de grandes reforços, confesso que estava preocupado com o time. No mês inteiro de inter-temporada que o Grêmio ficou parado, Roger se recuperou de lesões e o time treinou direto, mas em todo momento choviam críticas e dúvidas sobre como escaparíamos de mais um eminente rebaixamento. Quis o destino que o Grêmio chegasse à oitava rodada do Brasileirão como vice-líder, Roth como técnico, time bem-falado, melhor defesa, etc.

Apesar da premonição do ‘desmonte’ colorado, com a saída dos principais articuladores dos títulos de 2006 e 2007 – o maior período de glórias do co-irmão – eu pensava que o Inter ainda assim tinha um grupo forte e que entraria com tudo no Brasileiro, já que ano que vem tem o centenário. O baque depois da eliminação na Copa do Brasil ante o Sport de Sandro Goiano; o corte de cabelo do Fernandão e a abrupta ida ao Qatar, tudo isso foi mais forte que o pior colorado poderia esperar (até a Placar tomou uma ruim em maio estampando o Abelão na capa, dias depois dele ter ido embora). Iarley chorando por não querer ir pro Goiás, e o próprio Vitório Piffero trazendo Tite a contragosto, tendo que engolir a seco um cargo-migué pro Fernando Carvalho salvar as almas vermelhas antes que a casa caísse.

E aí encontrei os porquês da baixa taxa de postagem que assolou o blog nos últimos tempos: todos estávamos atônitos com o que víamos. Colorados sem poder se gabar do melhor ataque da competição nacional e gremistas sem poder xingar Celso Roth, porque, simplesmente, o que se vê é a inversão dos valores do futebol nesse início de campeonato. Também é verdade que agora somos grandinhos (formados até) e trabalhamos pra caralho, outro motivo que diminui o tempo livre pra ficar postando num blog de futebol.

Mas a vida nos guarda surpresas, e a mágica acontecerá, de novo, no próximo domingo: a reafirmação dessa loucura toda, caso vença o Grêmio (e se golear, melhor ainda); ou a volta-por-cima-parcial dos colorados, que engrenarão rumo à vaga da Sul-Americana 2009 em caso de vitória.

GreNal em dados

•25.junho.2008 • 2 Comentários

O portal do jornal ZH publicou hoje um infográfico sobre o confronto GreNal com os destaques do clássico. Dos jogos mais importantes, aos principais personagens, dados estatísticos, etc. Para quem aprecia a disputa mais disputada do futebol gaúcho vale conferir.

O segundo GreNal do ano

•23.junho.2008 • 2 Comentários

Finalmente chegou o momento tão esperado. O segundo GreNal do Ano!! Segundo porque já jogamos o primeiro e o Inter venceu. O próximo eu já não sei. 

A favorito é o grêmio, que vem de uma boa sequência de vitórias. Jogará em casa com sua fervorosa torcida a favor. Já o Inter vem de derrota e tem que vencer para não entrar em crise. 

Apesar do meu temor Colorado não dá pra saber, no máximo apostar. Clássico é clássico e vive-versa.

A hora de vender

•16.junho.2008 • 2 Comentários

Manter um jogador de destaque no Brasil hoje é uma das maiores dificudades de um clube. Somos uma vitrine dos ricos times europeus que compram nossos melhores jogadores por ofertas milionárias. Dificilmente o jogador recusa a proposta diante da possibilidade de garantir a aposentadoria do futebol.

No interior, os times que não disputam campeonatos importantes (principalmente no segundo semestre), se desmancham e fecham as portas até o início do próximo ano, quando começam os campeonatos estaduais. Vendem um que outro jogador de destaque e assim vão sobrevivendo.

Não muito distante desta realidade, times que disputam os principais campeonatos do país vendem seus principais jogadores no fim da temporada, quebrando com um projeto a longo prazo de formar um time vencedor. Estes, praticamente, surgem do acaso, da aposta de um técnico com um grupo inédito, salvo os times com dinheiro que conseguem manter por mais tempo sua base, como o São Paulo.

No final do ano passado, o grêmio vendeu e dispensou quase todo o time que jogou ano passado, inclusive seus heróis, como Sandro Goiano que até na calçada da fama foi colocado. Sandro hoje joga no Sport Recife campeão da Copa do Brasil 2008. Apostou num time novo e desconhecido que não trazia nenhuma segurança a torcida. Quis o destino, que este grupo esteja gerando bons resultados.

O Inter, ao contrário, há um bom tempo tem feito mudanças transitórias, mantendo a mesma base. A era Fernando Carvalho estabeleceu que o Colorado venderia um jogador de destaque do time por ano, para manter a renda e ao mesmo tempo o time. Deu certo, junto a um plano de associados que trouxe sustentabilidade para o time.

No início do ano, temiamos a saída dos principais jogadores do Inter e hoje isso é uma realidade. Iarley, um dos líderes do time com Fernandão e Clemer foi transferido para o Goiás sem de forma súbita, não nem tempo de se despedir da torcida em campo. Com Fernandão foi a mesma coisa. Dizem que as negóciações já corriam há 15 dias (o que explica a ausência dele nos jogos alegando problemas musculares), mas só veio a público mesmo no sábado dia do jogo contra o Botafogo. Acrescentando a transferência de Abel para o futebol Árabe, estamos diante o fim de uma geração campeã no Beira-rio. 

Não há dúvidas que sentiremos falta destes jogadores, entretanto  o time seguia vivendo à sombra daquele time da Libertadores e do Mundial que há tempos não existe mais, situação que não estava trazendo bons resultados. Com a renovação do elenco surge uma nova perspetiva de vitórias para o Inter.

A novidade é o Fernando Carvalho

•12.junho.2008 • 2 Comentários

Acabou a novela do técnico. Depois de muito enrolar, especular, negar e blablablá Tite é o novo técnico colorado. A coisa já estava encaminha desde o início da semana, mas alguns divergências atrapalharam o anúncio oficial. Acho uma boa escolha. Mesmo tendo uma identificação com o irmão azul, é um técnico competente e com o perfil do futebol gaúcho.

Mas a novidade mesmo é o ingresso do ex-presidente Fernando Carvalho como Assessor de Futebol. Vejo isso de duas formas: 1. A diretoria é fraca e está atrapalhada. O presidente é ruim e não sabe tomar decisões. Precisam de Fernando; 2. Fernando estava cansado das besteiras da diretoria e resolveu assumir o pepino de vez, pois não conseguiu ficar longe do Inter, como ele tentou depois da troca de mandato. 

O tempo é curto para arrumar a casa se o Colorado ainda quiser lutar por uma vaga a libertadores.